Carlo Ancelotti sai do Bayern de Munique


O treinador Carlo Ancelotti foi demitido pelo Bayern de Munique, apenas cinco meses depois de levá-los ao quinto título consecutivo da Bundesliga. Menos de 24 horas após a derrota por 3 a 0 contra o Paris Saint-Germain, treinador que foi vencedor da UEFA Champions League 3 vezes foi  dispensado das suas funções. Entretanto, o assistente Willy Sagnol foi nomeado para sucedê-lo temporariamente. "O desempenho da nossa equipa desde o início da temporada não correspondeu às expectativas que colocamos sobre eles", disse o CEO Karl-Heinz Rummenigge. "O jogo em Paris mostrou claramente que devemos tirar conclusões. Eu e Hasan Salihamidžić (director desportivo) tivemos hoje uma discussão aberta e séria com o Carlo e informámo-lo da nossa decisão. Gostaria de agradecer a Carlo pela nossa cooperação e lamentamos este desfecho. O Carlo é meu amigo e continuaremos assim, mas tínhamos de tomar uma decisão profissional para o Bayern ".

Willy Sagnol será o treinador interino por agora

Porquê agora?

Seria sempre difícil para Ancelotti que, apesar da abundância de talentos à sua disposição, teve que lidar com a reforma de Xabi Alonso e Philipp Lahm, além de gerir os egos da dupla veterana de Franck Ribéry e Arjen Robben. Muito foi feito na seleção da equipa de Ancelotti e rotação durante este periodo, como foi o caso ontem à noite em Paris quando ele decidiu deixar Ribéry, Robben e Mats Hummels no banco para o maior jogo da Champions League desta epoca. Foi um risco que, em última análise, custou ao italiano o seu posto, embora a origem do descontentamento e da discórdia já venham da temporada passada. Apesar de vencer a Bundesliga, a performance pouco-satisfatória do Bayern na Europa e na Taca da Alemanha significaram que sua primeira época ao leme da equipa não foi considerada um triunfo absoluto. Um forte contraste com Josep Guardiola, seu antecessor, o estilo de Ancelotti foi muitas vezes criticado por falta de intensidade e tempo.

Um início de temporada com sobressaltos, juntamente com sinais de ansiedade na equipa, levou a sugestões de que Ancelotti poderia ter o contrato (expirar em 2019) cortado por um ano. Outro fator foi o sucesso comparativo de Julian Nagelsmann em Hoffenheim - e ao admitir que o Bayern seria um "trabalho de sonho" para ele.

Próximos passos

Sendo improvável que Nagelsmann saia a meio da temporada de Hoffenheim, Sagnol é uma escolha pragmática como chefe interino até que o Bayern possa fazer uma consulta mais permanente.

O francês de 40 anos fez 277 aparições que abrange nove temporadas em Munique e tem uma forte compreensão do clube, embora a falta de experiência de alto nível possa ser um entrave para os fãs do Bayern. O seu único papel anterior de treinador foi por um período de dois anos em Bordéus de 2014 a 2016.

O candidato mais provável será Thomas Tuchel, ex-treinador do Dortmund

O óbvio candidato a grande nome é o mais experiente Thomas Tuchel, que esteve fora do trabalho desde a sua demissão do Borussia Dortmund em maio. O jogador de 44 anos provou o seu valor na Bundesliga, qualificando o Mainz à UEFA Europa League após um quinto lugar em 2010/11. Seguiu-se um período frutuoso de dois anos em Dortmund, onde estabeleceu um recorde com o maior número de pontos conseguidos por um segundo colocado (78 em 2015/16) e venceu a Copa de 2016/17.

A reputação de Tuchel como um treinador táctico-astuto e flexível que favorece uma abordagem de ataque também o torna um bom ajuste para o Bayern. O fato de ele colocar fé nas estrelas em ascensão Julian Weigl, Christian Pulišić e Ousmane Dembélé enquanto que em Dortmund não passaram despercebidas pelos patrões do Bayern, que tem sido muito vocal sobre sua ambição de recrutar jovens talentos nas casas nos próximos anos. Além disso, ele é alemão.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *